sábado, 2 de dezembro de 2017

Semana de la Historia UAM-I - Marzo de 2018


Estimados compañeros y colegas, les compartimos la convocatoria para La Segunda Semana de la Historia. ¡Esperamos su participación!


sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Projeto Xojobil em Niterói: Participação no I Encontro Ibero-americano de Estudos Mayas e no I Congresso Brasileiro de Estudos Mayas.




O mês de outubro foi um mês muito especial para o Projeto Xojobil. Além de ser dado o prosseguimento da organização, digitalização e disponibilização do material do Projeto Xojobil/ BiblioChiapas na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP – Campus Guarulhos), tivemos também a oportunidade de participar do I Congresso Brasileiro de Estudos Mayas e do I Encontro Ibero-americano de Estudos Mayas na cidade de Niterói – RJ.
            Um Encontro com pessoas incríveis, pesquisadores do mundo Maya de toda a parte do mundo com estudos e áreas dos saberes distintos, mas, que, no entanto, tinham em comum o apreço e a investigação sobre o mundo dos Mayas de hoje, ontem e sempre.  A proposta do encontro foi reunir todos os pesquisadores e curiosos dos povos Mayas para a fundação da Associação Ibero- Americana de Estudos Mayas e também, para além disso, proporcionar um encontro oportuno, sentir pensante, digno dos povos Mayas.
            A emoção de participar deste encontro foi além do que foi exposto por mim e pelos seus participantes. Avançou sobre as fronteiras do sentir e do querer, compreender as trajetórias de todos estes pesquisadores e curiosos e o comprometimento e respeito pelos povos Mayas.  Foi um definidor de rumos, um abrir portas, uma oportunidade de crescer na pesquisa e entrelaçando as histórias.
            O Projeto Xojobil figurou na apresentação do trabalho: “Identidades e experiência histórica: o indígena e o camponês no Exército Zapatista de Liberação Nacional (EZLN)”. Durante a apresentação, uma homenagem à Zezé e Alejandro por todo o seu empenho, trabalho e compromisso junto às comunidades indígenas de Chiapas. Ressoou no auditório da Universidade Federal Fluminense (UFF – Campus do Gragoatá) a historieta zapatista: “Los de después, si entendimos, falando de memória e de seus fazedores”.
            Seguiu-se a apresentação, após uns minutos ouvindo a historieta, pacientes e atentos às palavras dos “homens e mulheres verdadeiros” zapatistas. Falei sobre a organização e disponibilização da BiblioChiapas na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e também sobre a contribuição da BiblioChiapas em minha investigação sobre a identidade e a experiência zapatista.
            A recepção ao acervo e a proposta de pesquisa foi tamanha. Suscitou sugestões e curiosidades a respeito da trajetória de Zezé e Alejandro.  A importância de estar ai falando sobre o acervo e sobre a pesquisa ainda está em processo de dimensionamento.  O passo seguinte, que fora estimulado pelo evento, é uma ida ao México, refazendo percurso feito por Zezé e Alejandro nas comunidades. 
            Abaixo vocês encontram o link para a página do Encontro, lá vocês terão acesso ao caderno de resumo, programação e anais do evento. Também há um link para a página oficial do evento no facebook, todo o evento foi transmitido online pelo live do facebook, portanto, é possível acessar o vídeo das apresentações.

            
Página oficial do Encontro:
http://www.estudosmayas.net/?conference=encontro&schedConf=1encontro

Página oficial do Encontro no facebook:

https://www.facebook.com/EstudosMayas/

Cuento zapatista: "Los de después, si entendimos"

https://www.youtube.com/watch?v=6izcABVqsBk

Fotos da fotógrafa oficial do evento: Ana Paula Germano. 







terça-feira, 21 de novembro de 2017

Notícias do Projeto BiblioChiapas : Passo a passo da organização e disponibilização do acervo na Universidade Federal de São Paulo.





Olá a todoas!

É cheia de alegria que escrevo esta postagem dando a conhecer a todoas, os companheiros dispostos a construir um outro mundo possível, o passo dessa história: a doação, organização e disponibilização do Projeto Xojobil/ BiblioChiapas idealizado pelos queridoas Zezé e Alejandro.
Sou estudante de mestrado em História Social na Universidade Federal de São Paulo sob a orientação do professor Clifford Andrew, me chamo Pauleany.  Foi em uma destas aulas obrigatórias, no primeiro semestre do mestrado, que tive o feliz encontro de saber, conhecer e servir de ponte para a doação do Projeto Xojobil/ BiblioChiapas. Desde então,  em agosto de 2016, iniciei uma catalogação prévia do material recebido.
No total são 13 caixas recheadas dos materiais mais diversos: um acervo bibliográfico de peso sobre as questões indígenas e camponesas do México; uma hemeroteca importante que marca temporalmente e visualmente mais sobre as vozes de resistência e luta dos povos; um acervo fotográfico que retrata a trajetória de trabalho do Alejandro Buenrostro e Maria José junto às comunidades indígenas e camponesas de Chiapas, trabalhando a terra, exercendo a educação popular, criando autonomias; uma ponta do acervo multimídia e tantos outros mais.
Trabalhei entre os meses de Agosto/2016 a Abril/ 2017 em uma catalogação prévia e aqui lhes conto que estamos no processo de digitalização deste acervo fotográfico e disponibilização online do mesmo. Afora de também catalogar e disponibilizar os livros para a consulta de pesquisadores e interessados em conhecer, compreender e apoiar a construção de outro mundo possível, como nos convoca os dignos povos indígenas de Chiapas.
Em breve mais informações sobre a disponibilização e o acesso ao acervo no Centro de Memória da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), no bairro dos Pimentas em Guarulhos.

























quarta-feira, 22 de junho de 2016

Agora, o acervo BiblioChiapas - Projeto Xojobil encontra-se disponível ao público na: 

UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo

Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Biblioteca EFLCH

http://www.unifesp.br/campus/gua/

Estrada do Caminho Velho, 333 -  Jd. Nova Cidade - Guarulhos - SP - CEP: 07252-312

Mais informações:

BiblioChiapas@gmail.com

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Los Cuatro Textos de la Escuelita Zapatista

Los Cuatro Textos de la Escuelita Zapatista

Cada uno de los libros fue dado en la escuelita Zapatista, Caracol Azul y   Colectivo “Los Nadies” Región Laguna se encargaron de la digitalizaciòn y la difusión de los mismos en las redes sociales.

1.- Gobierno autónomo I. Cuaderno de texto de primer grados del curso “La Libertad según l@s Zapatistas”Link de descarga: http://rapidshare.com/files/2407921308/Gobierno%20autonómo%20I.pdf





2.- Gobierno autónomo II. Cuaderno de texto de primer grado del curso “La Libertad según l@s Zapatistas”


3.- Resistencia autónoma. Cuaderno de texto de primer grado del curso “La Libertad según l@s Zapatistas”


4.- Participación de las mujeres en el gobierno autónomo. Cuaderno de texto de primer grado del curso “La Libertad según l@s Zapatistas”

segunda-feira, 25 de março de 2013

Confira as fotos da campanha 20 y 10 El Fuego y La Palabra. São mais de 800 fotos:

"El 17 de noviembre del año 1983, hace 20 años, se fundó el EZLN, y como EZLN empezamos a caminar las montañas del sureste mexicano, cargando una pequeña bandera de fondo negro con una estrella roja de cinco puntas y las letras "EZLN", también en rojo, al pie de la estrella. Aún cargo esa bandera. Está llena de remiendos y maltratada, pero todavía ondea airosa en la Comandancia General del Ejército Zapatista de Liberación Nacional. 

También nosotros llevamos remiendos en el alma, heridas que suponemos cicatrizadas, peo que se abren cuando menos lo esperamos. 

Durante 10 años nos preparamos para esos primeiros minutos del año 1994. Allá se mira Enero del 2004. Pronto serán 10 años de guerra, 20 años." 

Subcomandante Insurgente Marcos

domingo, 16 de dezembro de 2012

Luis Villoro, Los retos de la sociedad por venir


Reseñas bibliográficas

Guillermo Hurtado

Fondo de Cultura Económica, México, 2007, 226 pp.
Instituto de Investigaciones Filosóficas. Universidad Nacional Autónoma de México. gmhp@servidor.unam.mx

Los retos de la sociedad por venir es el más reciente de una serie de libros publicados por Luis Villoro sobre temas de filosofía política. El libro está escrito con esa admirable combinación de lucidez y pasión a la que nos tiene acostumbrados su autor. Villoro ha mostrado una vez más cómo la filosofía mexicana puede ser comprometida y liberadora, sin por eso dejar de ser rigurosa y profunda.